HomeGravidezEmoções fortes podem provocar aborto? Veja mitos e verdades sobre o tema
Emoções fortes podem provocar aborto

Emoções fortes podem provocar aborto? Veja mitos e verdades sobre o tema

Será que situações que geram emoções fortes podem provocar aborto?! Muitos são os questionamentos levantados sobre esse tema, mas poucos sabem o que de fato é mito ou verdade.

Nesse processo, o sentimento de culpa e insegurança pode dar as caras e o eterno questionamento: afinal, eu poderia ter feito algo para impedir o aborto? Vamos saber o que especialistas falam sobre isso!

Emoções fortes podem provocar aborto

Emoções fortes podem provocar aborto?

É polêmico. “Uma das teorias é a de que uma notícia ruim colocaria a mulher num estado de choque, que poderia liberar uma grande quantidade de adrenalina na corrente sanguínea que reduziria o fluxo de sangue para algumas estruturas e aumentaria o risco do aborto, mas há mais relatos do que estudos sobre o assunto.

É mais fácil perder um filho no início da gestação?

Verdade. Tanto que o termo aborto espontâneo é usado só até a 22ª semana ou enquanto o bebê pesa menos de 500g. Disparadamente, a perda ocorre no primeiro trimestre, e ter um aborto é considerado normal. A maioria acontece, aliás, antes que a mulher sequer desconfie da gestação. Já o aborto tardio, que é menos frequente, deve ser observado com atenção, pois pode estar relacionado a alguma condição de saúde da mãe. Malformações e doenças congênitas no bebê também aumentam esse risco.

Dá para prevenir um aborto?

Parcialmente verdadeiro. É possível fazer intervenções que diminuem o risco quando há algum problema de saúde conhecido da mãe, mas não garantir que ele não aconteça. Outras medidas que ajudam a reduzir o risco é fazer um check-up antes de engravidar, tomar ácido fólico, corrigir possíveis deficiências nutricionais e manter um estilo de vida saudável — cigarro, drogas e consumo excessivo de álcool também estão relacionados ao problema.  

Aborto é problema da mulher?

Mito. Entre 15% e 20% das gestações não evoluem, e isso não é culpa de ninguém. Esta perda no geral está relacionada a alterações no bebê, que ocorrem em divisões celulares iniciais, é um acontecimento natural. Fora que alterações no sêmen do pai interferem no sucesso da gravidez.

Se eu já tive um aborto corro mais risco de ter outro?

Mito. O primeiro aborto é considerado pelos médicos como normal. Trata-se da seleção natural, e estatisticamente falando, a mulher que teve só um aborto tem menos risco de sofrer uma perda do que uma que nunca sofreu. Normalmente, a investigação é feita a partir da segunda perda, que é menos comum e pode indicar um problema de saúde da mãe ou do pai, mas é possível antecipá-la.

Ficar doente pode levar a um aborto?

Parcialmente verdadeiro. Doenças crônicas, como as autoimunes e a diabetes, podem ameaçar a gestação, mas é possível controlar esses quadros e diminuir o perigo. Resfriados simples e viroses, não oferecem muito risco, mas algumas infecções da mãe são mais preocupantes, como toxoplasmose, rubéola e sarampo. Boa parte delas é prevenida com a vacinação, que pode ser feita em alguns casos inclusive durante a gravidez.

Exercícios podem provocar aborto espontâneo?

Parcialmente verdadeiro. Gestantes podem e devem fazer exercícios moderados, mas os intensos que eram praticados antes da gestação devem ser avaliados com o médico. “Existe a insuficiência istmo-cervical, uma fragilidade do colo do útero que pode levar ao aborto, e esforços intensos aumentam essa tendência”, explica Luba.

Vale ressaltar que, no geral, se movimentar é benéfico, e o sedentarismo deveria ser evitado pelas gestantes. Entre as vantagens, melhor controle das dores típicas da gestação e do peso.

Todo sangramento indica um aborto?

Mito. Diversos sangramentos podem ocorrer nos nove meses de espera, mas o sintoma não necessariamente representa risco ao filho. Até a quinta semana da gestação, por exemplo, pode ocorrer um sangramento normal e discreto, decorrente da implantação do embrião no útero. De qualquer maneira, como a presença de sangue é um dos sintomas do aborto, ocorridos do tipo devem ser comunicados ao médico, para que ele avalie a situação.

Emoções fortes podem provocar aborto

Quer saber mais sobre gravidez e o mundo das tentantes?

Não perca nossas postagens seguindo todas as redes sociais!

Facebook, Instagram (@blogtestepositivo) e Pinterest.

 

Leia mais:

Infertilidade: beber uma lata de refrigerante por dia pode diminuir suas chances de engravidar

Estudos apontam que poluição do ar pode chegar à placenta

Histórias de tentantes: antes de engravidar de forma natural, Pathy Dejesus ouviu dos médicos que não conseguiria

 

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Teste Positivo é um blog com conteúdo voltado para gestantes e mamães. O blog é uma forma de batermos um papo sobre maternidade, bebês, saúde, bem-estar, decoração, moda e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@testepositivo.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário