HomeGravidezExame de translucência nucal deve ser feito no primeiro trimestre
trnslucência nucal

Exame de translucência nucal deve ser feito no primeiro trimestre

A descoberta da gravidez chega junto a uma série de novidades. Entre elas, a rotina de exames e consultas médicas é uma das mais importantes para garantir uma estação tranquila e saudável para mamãe e bebê. Por isso, quando a mamãe recebe a confirmação de sua gravidez a primeira medida a ser tomada é buscar um médico, para não correr o risco de perder exames importantes que muitas vezes tem prazo para serem feitos.  Um dos principais é o de translucência nucal, que só pode ser realizado no primeiro trimestre da gestação, e muitas vezes  acaba não sendo feito pela demora da mamãe em buscar um obstetra.

Durante o exame de translucência nucal, o médico realiza uma medição na região da nuca do feto. Se houver um acúmulo excessivo de líquido nesta região, aumenta o risco do bebê ter uma alteração cromossômica, má formações ou alguma síndrome genética.

Translucência Nucal

Exame de translucência nucal deve ser feito no início da gravidez

O resultado ajuda a estimar o risco do bebê desenvolver algumas anomalias, entre elas a Síndrome de Down e as cardiopatias congênitas. Fetos com malformações ou doenças genéticas possuem uma tendência a acumular liquido na região da nuca. O exame deve ser feito da 11ª a 14ª semana de gestação. Depois disso, já não é mais possível realizar o exame, já que o espaço deixa de ser transparente na imagem do ultrassom. A ultrassonografia para realização do exame de translucência nucal geralmente é abdominal, mas se a medida não for possível, pode ser necessária a realização da ultrassonografia transvaginal.

O que fazer se meu exame de translucência nucal teve resultado alterado?

É bom lembrar que a medida da translucência nucal não é um teste de diagnóstico, ou seja, não é uma confirmação de alterações com seu bebê. Ele apenas dá indicações da possibilidade da presença de alguma síndrome ou malformação. Se a medida da translucência estiver acima da média, pode ser que o bebê tenha alguma anomalia, mas isso não é uma sentença. Por outro lado, há bebês que têm síndromes ou malformações, mas a translucência nucal dá normal.

Ou seja: se o exame de translucência nucal de seu bebê der alguma alteração, tente se tranquilizar até ter mais informações. Pode ser que não seja nada, e você deve seguir as orientações que seu médico deve dar na realização de novos exames, como a biópsia de vilosidades coriônicas ou amniocentese, que investiga a presença das alterações cromossomáticas da Síndrome de Down.

 

Confira a lista de exames necessários durante a gestação:

Entre 1º e 3º mês de gestação:

– Hemograma
– Tipagem Sanguínea
– Sorologia para Sífilis, HIV, Hepatite B, Hepatite C, Toxoplasmose, Rubéola, Citomegalovírus
– Urina 1 e Urocultura
– Papanicolau
– Ultrassom Endovaginal ou Transvaginal
– Translucência Nucal
– Teste oral de Tolerância à Glicose

Entre 4º e 6º mês de gestação:

– Ultrassom Morfológico (para rastrear síndromes cromossômicas)

Entre 7º e 9º mês de gestação:

– Ultrassom Obstétrico (verifica crescimento, peso, batimento cardíaco)
– Cardiotocografia (avalia o bem-estar do bebê)
– Ultrassom Obstétrico com Dopplervelocimetria (avalia a vitalidade do bebê)

Leia mais:

– Saiba porque o pré-natal é tão importante

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Teste Positivo é um blog com conteúdo voltado para gestantes e mamães. O blog é uma forma de batermos um papo sobre maternidade, bebês, saúde, bem-estar, decoração, moda e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@testepositivo.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário