HomeTentantesOvodoação: como funciona e quando fazer
tratamento com ovodoação

Ovodoação: como funciona e quando fazer

Ovodoação é o tratamento cada vez mais procurado nas clínicas de reprodução humana e tem realizado o sonho de ser mãe de muitas mulheres que apresentam dificuldades para engravidar. O procedimento não é muito conhecido, por isso, as dúvidas sobre o tema são diversas e precisam ser esclarecidas. Nessa matéria, o Blog Teste Positivo vai contar para você o que é, como funciona e quando realizar o tratamento com ovodoação. Curiosa? Nós também estamos ansiosos para te contar tudo!

tratamento com ovodoação

O que é o tratamento com ovodoação? 

Basicamente, a ovodoação é a ação de doar gametas femininos (óvulos) de uma paciente para outra. A tentante que recebe o óvulo realizará um ciclo de reprodução assistida, já que não produz uma quantidade de óvulos suficiente para formar embriões. O sêmen do parceiro da receptora é usado para fertilizar óvulos de uma doadora anônima.

Os tipos de doação de óvulos são definidos como:

  • Doação Voluntária

Ocorre quando a doadora é uma mulher que não tem problemas relacionados a fertilidade e decide realizar o procedimento de doação de óvulos anonimamente.

  • Doação Compartilhada

Essa situação acontece quando uma paciente que já está em tratamento de reprodução assistida decide dividir os óvulos coletados entre ela e a receptora, o que acaba possibilitando a divisão do custo do tratamento entre as pacientes, sempre de forma anônima e intermediada pela clínica.

As 10 etapas da ovodoação

Quando o médico do casal indica o tratamento com ovodoação, algumas etapas deverão ser cumpridas para que todo o procedimento seja feito com segurança e as possibilidades de êxito sejam as maiores possíveis. Vamos listar o passo a passo da ovodoação, confira!

1. No primeiro passo, o casal deve preencher um questionário que será fundamental na busca pela doadora ideal.

2. A partir das respostas do questionário, é realizada uma seleção da possível doadora. A procura é sempre realizada de acordo com as características físicas entre doadora e receptora, além da compatibilidade do tipo sanguíneo.

3. São candidatas a doadoras apenas pacientes com menos de 35 anos, que não apresentem nenhum problema de saúde e possuam uma boa reserva ovariana.

4. Sempre de maneira anônima, o casal terá acesso a informações físicas e de saúde da doadora e de seus familiares próximos.

5. É realizada uma consulta psicológica com o casal para verificar os aspectos emocionais envolvidos no processo.

tratamento com ovodoação

6. Ao iniciar o tratamento, a paciente tentante que receberá os óvulos deve preparar o útero através do uso de hormônios (por cerca de duas semanas e meia, no máximo), isso permitirá que o endométrio se torne receptivo aos embriões.

7. Em seguida, o médico responsável pelo tratamento vai avaliar a resposta endometrial da receptora por meio de exames ultrassons, após isso, a fertilização com o sêmen do casal receptor será programada.

8. Quando a fertilização in vitro por ovodoação é realizada, as taxas de sucesso podem chegar até 51% nas principais clínicas brasileiras.

9. Caso haja embriões excedentes, o casal pode optar por congelar (criopreservação) e utilizá-lo numa gestação futura.

10. Agora é só esperar e torcer pelo resultado positivo, se tudo acontecer como o planejado, teremos uma nova mamãe!

 

Para quem é indicado o tratamento?

Na maioria das vezes, os especialistas da área médica indicam o tratamento quando ocorre a diminuição da reserva ovular ou a queda da qualidade dos óvulos, por exemplo. Idade avançada, retirada dos ovários em cirurgia, falência ovariana, menopausa (precoce ou não) e falhas nas estruturas ou no funcionamento dos ovários também são situações em que o tratamento com ovodoação tende a ser indicado para as mulheres que desejam engravidar.

As normas para este procedimento e toda a regulamentação das práticas em reprodução humana, são estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) na Resolução nº 2.168 de 2017.

Procure sempre um especialista

Somente um médico é capacitado para determinar qual o método de fertilização mais indicado para engravidar. Inseminação artificial, coito programado, fertilização in vitro e ovodoação são algumas das técnicas mais utilizadas pelas clínicas de reprodução humana. Para entender mais sobre o assunto, não deixe de ler essa matéria do blog: Ciência evolui e técnicas de fertilização se tornam mais eficazes.

 

Quer saber mais sobre gravidez e o mundo das tentantes?
Não perca nossas postagens seguindo todas as redes sociais!

FacebookInstagram (@blogtestepositivo) e Pinterest.

 

 

Leia mais

Fertilidade masculina também pode ser afetada pela idade

Inseminação artificial: como funciona?

Fertilização in vitro: como a técnica é realizada

Histerossalpingografia: entenda como o exame é feito

Compartilhe:
Classifique este artigo

O Teste Positivo é um blog com conteúdo voltado para gestantes e mamães. O blog é uma forma de batermos um papo sobre maternidade, bebês, saúde, bem-estar, decoração, moda e muito mais! Entre em contato com a gente!

redacao@testepositivo.com.br

Sem comentários

Deixe um comentário